quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

FILOSOFIA PRAS AMIZades


Existo logo penso que pensando melhor, quem sabe então, que diga. Não é verdade!?.

Existo logo penso que estamos num plano de imanência, num incerto por vir que não dominamos muito bem. RE`Territórios para explorar, Viver e outros sucessos.


Penso que nossa ética estética metodológica, são estratos que multiplicados por uma pitada da legitimidade de cada um@ com sigo mesmo e com o outro, nas nossas coordenações consensuais de conduta, no popular: Pelo Certo. Nos levarão ao êxito, é verdade, e exitosamente triunfaremos em arquipélogos de verdades, envoltos a oceanos de incertezas.


Mas, êxito de que mesmo? O que pensamos mesmo?...?). CDD – AMIZ – UNIPERIFERIA - CBRASIL –  TRANSFORMATÓRIO SOCIAL - OUTRO SUL - aonde vamos mesmo? Vidinha Mais ou Menos! Qual  Estrato Epistemológico ou nem ão tão lógico assim nos (dês) Assegura?


Existo logo Penso que exitaremos em um Mundo de Amig@s, Sorrisos, AMIZades, VIDAdes, coisas que ninguém poderia imaginar estarem realizadas e os acontecimentos pôr vir que se aventuram para nós.


É onde estamos

Valeu AMIZades

Impertinentemente, Verão Satolepsiano de 2008.

PARA PENSAR NA FILA.





  • Como podemos construir uma prática multilógica capaz de aproximar teoria e prática, de maneira que possamos concatenar poder público e sociedade civil? Como construir, transformar e potencializar a capacidade das forças sociais organizadas e das formações subjetivas, de maneira que efetivamente seja possível, viável e sustentável a construção de um mundo, pautado na colaboração entre as pessoas e as pessoas com o ambiente?


  • A importância da reflexão de que cada pessoa/ instituição é capaz de ser co-criadora com outr@s de um espaço social desejável, e que isso implica em que criemos condições de fazer com que se viva em auto-respeito e no respeito pelo outr@, institucional e humanamente falando. Pensar/ fazer ações que aconteçam no âmbito de diferentes domínios de ação em que nos movemos, refletindo o querer ou não querer as conseqüências de nossas ações, nos dando a refletir que o mundo em que vivemos depende do nosso desejo e que os erros que cometemos e que venhamos a cometer sejam acontecimentos que podemos e devemos trabalhar para evitá-los e resolvê-los;